facebook

TIPOGRAFIA.IPT


 

Título: Oficina tipográfica do Politécnico de Tomar. Um património industrial a salvaguardar e valorizar

Acrónimo: TIPOGRAFIA.IPT

Referência: CFPI2021/04

Área: Valorização do Património Cultural e Desenvolvimento Sustentável

Financiamento: 12 500,00 €

Âmbito: Nacional

Resumo:
A oficina tipográfica do Politécnico de Tomar possui um acervo único no panorama das IES e das oficinas deste género existentes em Portugal. Este património industrial tem origem maioritariamente na Imprensa Nacional Casa da Moeda, a instituição pública nacional responsável pela produção, entre outros e desde há vários séculos, de documentos oficiais de identificação, moeda metálica ou edição de publicações oficiais do Estado português. Entre o acervo tipográfico conta-se diverso material de composição manual e mecânica, como compositoras e matrizes Monotype, Linotype e Ludlow, ou equipamento de provas e impressão. Além do valor patrimonial deste acervo, enquanto processo de composição e de impressão, a tipografia representa valores interessantes e em variadas dimensões, como a pedagógica, a artística ou a cultural. A sua utilização atual inclui fundamentalmente os estudantes do IPT, mas pretende-se num futuro próximo ver aberto este património vivo a comunidades locais, nacionais ou internacionais, especializadas ou não. Nesse sentido, este projeto tem como objetivo a salvaguarda e valorização deste património, mas também o reforçar do pilar social que a ele se agrega.
Este projeto enquadra-se num conjunto de ações, algumas já iniciadas. Uma fase já iniciada deste trabalho tem-se centrado principalmente na realização do inventário dos tipos móveis, matrizes de composição mecânica e equipamentos de impressão. Têm sido produzidos cartazes, visualizando os tipos, variantes e corpos existentes na oficina. Pretende-se aprofundar a investigação no sentido de finalizar o inventariado, aprofundar a investigação documental sobre este acervo (equipamentos, mobiliário, acessórios, etc.); proceder-se à organização sistemática da oficina: organização dos cavaletes dos tipos de letras por família, etiquetagem das caixas tipográficas de acordo com a classificação do catálogo da Imprensa Nacional Casa da Moeda; recuperação do espaço da oficina, sinalética informativa deste acervo; criação de condições de preservação do acervo e proceder à conservação e restauro do mobiliário (madeira), dos tipos (limpeza) e dos equipamentos (máquinas), em particular a sua higienização e estabilização; de modo a documentar o processo e para futura divulgação pretende-se ainda proceder à realização de dois documentários, uma curta metragem de divulgação da investigação, e uma média metragem (cerca de 25 minutos) com entrevistas e mostra de documentação do processo de valorização deste acervo e do seu uso; pretende-se realizar um catálogo dos tipos de letra existentes na Oficina Tipográfica; e editar um livro dedicado à história e às várias dimensões deste acervo, sejam técnicas, artísticas, culturais ou outras.

Como resultados da valorização deste património, pretendemos alargar/abranger os públicos que podem demonstrar interesse na oficina e suas as respetivas mais-valias. No futuro, após a preparação da Oficina, passarão a poder-se atividades dirigidas a:
Estudantes de artes gráficas e design: entendimento da evolução histórica dos media impressos, de certos termos, procedimentos e técnicas da profissão; entendimento mais profundo da tipografia e da composição de texto.
Artistas e designers: criação de livros de autor; exploração expressiva das técnicas tipográficas.
Escritores, poetas e editores: edição alternativa, pequenas tiragens.
Crianças e jovens: valorização da palavra escrita e impressa como forma de comunicação; valorização e promoção da leitura; divulgação e valorização da história e evolução da escrita e seus instrumentos e equipamentos; valorização da manualidade; exploração de outras questões importantes para o desenvolvimento pessoal e cívico.
População em geral, comunidades locais, públicos seniores: conhecimento do património local; fortalecimento do sentimento de pertença; e reforço da interação inter-geracional (antigas e novas gerações) através do conhecimento e experienciação dos diferentes modos de escrita ao longo dos tempos.
Empresas e instituições regionais, especialmente as ligadas à cultura, que se relacionam direta ou indiretamente com a tipografia (indústrias gráfica/tipografia, produção de papel, artes plásticas, fotografia, etc.): estabelecimento de relações com outros, desenvolvendo a cultura regional; melhoria dos serviços educativos.
Oficinas tipográficas em laboração: produção de tipos de composição manual para reposição.

Investigador Principal:
Regina Aparecida Delfino. Ciência-ID: 3D14-472D-01C0
Equipa de Investigadores:
Fernando dos Santos Antunes. Ciência-ID: EE1B-7A43-5768
João Pedro Freire Fonseca da Luz. Ciência-ID: 9713-6B91-43CF
Luís Miguel Alves de Oliveira. Ciência-ID: 0618-4DD4-36C0
Vitor Dinis Carita de Jesus. Ciência-ID: 3718-65F4-7036
Pedro Alexandre Santos de Matos. Ciência-ID: DB16-708F-48A3
António Guilhermino Pires. (Investigador Externo – IPT)
John Cornelisse (Investigador Externo - Enkidu-Pers)
Cláudio Rocha. (Investigador Externo - Oficina Tipográfica São Paulo)

Instituição proponente:
Instituto Politécnico de Tomar
Instituições parceiras:
INCM — Imprensa Nacional Casa da Moeda
MNI - Museu Nacional da Impensa
EP - Enkidu-Pers, Philippine, Países Baixos
MC - Museu das Comunicações
BAM - Book Art Museum, Lódz, Polónia
OTSP — Oficina Tipográfica São Paulo, Brasil
APIGRAF — Associação Portuguesa da Indústria Gráfica

Data de Início: 01/07/2021
Data de Conclusão: 01/07/2023